Arquitetura de casas pequenas

A diminuição do tamanho das moradias é cada vez mais comum nas cidades. Viver em poucos metros quadrados, que antes significava somente economia de dinheiro, ganha agora valores culturais de bom gosto, eficiência e distinção. Essa mudança de conceito é um legado da arquitetura moderna – no passado, essa arte se dedicava à construção de templos e espaços sagrados. Para relembrar a história, a preocupação com as escalas menores surgiu com ênfase nos trabalhos de arquitetos como o franco-suíço Le Corbusier (1887-1965). Para ele, a construção podia ser industrializada assim como um automóvel.
Morar em espaço pequeno exige muita organização – mas, em troca, oferece um grande aprendizado: o verdadeiro conforto dispensa enormes salas ou infindáveis portas de armário. Sua relação com a casa, a delicada escolha dos móveis que representem o seu jeito de morar e a energia que você imprime em cada canto (reflexo da sua relação com os familiares ou amigos) é que fazem toda a diferença.

Práticas, versáteis e dinâmicas são as características que definem as casas pequenas cujos projetos destacam o cuidado com a otimização dos espaços, a integração e a ambientação multiuso. É possível habitar com conforto, design e um pouco de luxo sem gastar muito e em espaços restritos.
O essencial em áreas pequenas é garantir o conforto. Nesses projetos, não pode haver desperdício de espaço, sem abrir mão do design. Em um de espaço bem aproveitado sem paredes internas, cabe aos móveis o papel de delimitar os ambientes.

(Fonte: Diariodenoticia e Dicasgratisnanet, 01/10/2011)

3 Comentários

Deixe uma mensagem